As mentiras que os pequenos contam

O monstro embaixo da cama, o companheiro de aventuras imaginário ou dizer que já escovou os dentes quando, na verdade, não o tenha feito, são clássicos da mentira infantil. E provavelmente você já se deparou com alguma destas situações.

Não se preocupe, contar mentiras inocentes na infância não quer dizer que seu filhote se tornará um adulto falso.

Misturar fantasia com realidade é comum em crianças até os 6 anos. Elas ainda não incorporaram valores sociais que adquirimos ao longo do nosso desenvolvimento. Portanto, não considere essas histórias como mentiras intencionais. A imaginação faz parte da infância e os pequenos a usam para lidar com situações de medo, por exemplo, ou simplesmente por acharem mais vantajoso brincar a perder tempo escovando os dentes.

Mas, será que as lorotas infantis jamais possuem um fundo de maldade? É só a partir dessa faixa etária que as crianças começam a distinguir o certo do errado.  Então, embora a mentira possa ser consciente ou com uma razão específica – como fugir de um castigo – dificilmente ela será maliciosa ou dissimulada.

É importante que os pais entendam a situação, mas não tolham a imaginação. Essa fase é passageira e os papais e mamães devem sempre buscar o bom senso – muitas vezes entrando na fantasia – e instruir seus filhos que dizer a verdade é o certo, embora imaginar e usar a criatividade também tenha valor.

Deixe uma resposta