Bebês e bichos de estimação

Se você tem um bichinho de estimação e teme a hora em que decidir engravidar, saiba que a convivência entre o bebê e os animais domésticos pode ser benéfica para a criança. Mesmo assim, algumas precauções devem ser tomadas.

Antes do bebê nascer, os cuidados devem ser com os bichos. Para que eles se acostumem com a mudança de ambiente e a chegada de um novo membro da família, apresente o quarto e os móveis da criança para seu cachorro ou gato. Dar as roupinhas do bebê para o animal sentir o cheiro, por exemplo, faz com que ele não sinta ciúmes do novo “centro das atenções”. Outra forma de acostumar o bicho é utilizar uma boneca no lugar do bebê que ainda vai nascer, habituando-o à nova convivência.

Para evitar qualquer tipo de problema, certifique-se de que seu pet está em dia com todas as vacinas e aplicações de antipulgas e anticarrapatos, além de levá-lo regularmente ao veterinário. É importante, também, que nem a grávida e nem o bebê tenham contato com as fezes e com a urina do animal, portanto, acostume-o a fazer as necessidades em área específica.

Nos primeiros 6 meses do bebê, evite que o animal o lamba ou cheire, porque ele ainda tem uma baixa imunidade. Mas, você pode permitir a convivência deles no mesmo ambiente, para que a relação comece a ser formada.  Para evitar crises alérgicas, mantenha a escovação do bicho em dia, assim ele não soltará tantos pelos.

Assim como o animal irá aos poucos entender a nova rotina da casa e enxergará no bebê um novo membro da família que deve ser protegido, você também deve envolver a criança nos momentos de cuidado com o cão ou gato. Assim, você estimula o senso de responsabilidade do pequeno e aumenta a cumplicidade entre eles.

Deixe uma resposta